quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Saudação a Juazeiro do Norte



AOS INTERNAUTAS DE JUAZEIRO DO NORTE

Quase não acreditei! Dei uma olhada no Google Analytics e descobri que, desde que MundoCordel foi criado, em 19 de agosto de 2007, já recebeu mais de 3.200 visitas de 188 cidades do mundo inteiro, e nenhuma, mas nenhumazinha, de minha querida Juazeiro do Norte!

Peço, então, a algum internauta da região caririense que transite por este blog, ou que conheça alguém de lá, que faça chegar àquela terra onde morei tão pouco tempo, mas que me recebeu tão bem, a notícia de que existe um mundo onde se fala de cordel, de xilogravura, da Lira Nordestina e de tantas outras coisas belas que fazem o Mundo Cordel.

Na esperança de que logo os internautas caririenses estejam circulando por aqui, tomo emprestados os versos de Patativa do Assaré para fazer uma:

SAUDAÇÃO AO JUAZEIRO DO NORTE

Mesmo sem eu ter estudo
Sem ter do colégio obafejo
Juazeiro, eu te saúdo
Com meu verso sertanejo.
Cidade de grande sorte,
De Juazeiro do Norte
Tens a denominação,
Mas tem nome verdadeiro
Será sempre Juazeiro
De Padre Cícero Romão.

O Padre Cícero Romão
Que, por vocação celeste,
Foi, com direito e razão,
O Apóstolo do Nordeste.
Foi ele o teu protetor
Trabalhou com grande amor,
Lutando sempre de pé
Quando vigário daqui
Ele semeou em ti
A sementeira da fé.

E com milagre estupendo
A sementeira nasceu,
Foi crescendo, foi cerscendo,
Muito ao longe se estendeu
Com a virtude regada
Foi mais tarde transformada
Em árvore frondosa e rica.
E com a luz medianeira
Inda hoje a sementeira
Cresce, flora e frutifica.

Juazeiro, Juazeiro,
Jamais a adversidade
Extinguirá o luzeiro
De tua comunidade.
Morreu o teu protetor,
Porém a crença no amor
Vive e cada coração
E é com razão que me expresso
Tu deves o teu progresso
Ao Padre Cícero Romão.

Aquele ministro amado
Que tanto favor nos fez,
Conselheiro consagrado
E o doutor do camponês,
Contradizer não podemos
E jamais descobriremos
O prodígio que ele tinha.
Segundo a popular crença,
Curava qualquer doença,
Com malva branca e jarrinha.

Juazeiro, Juazeiro,
Tua vida e tua história
Para o teu povo romeiro
Merece um padrão de glória.
De alegria tu palpitas,
Ao receber as visitas
De longe, de muito além.
Grande glória tu viveste!
Do nosso caro Nordeste
Tu és a Jerusalém.

Sempre me lembro e relembro,
Não hei de me deslembrar:
O dia 2 de novembro,
Tua festa espetacular,
Pois vêm de muitos Estados
Os carros superlotados
Conduzindo passageiros
E jamais será feliz
Aquele que contradiz
A devoção dos romeiros.

No lugar onde se achar
Um fervoroso romeiro,
Ai daquele que falar
Contra ou mal, do Juazeiro.
Pois entre os devotos crentes,
Velhos, moços, inocentes,
A piedade é comum,
Porque o santo reverendo
Se encontra ainda vivendo
No peito de cada um.

Tu, Juazeiro, és o abrigo
Da devoção e da piedade.
Eu te louvo e te bendigo
Por tua felicidade,
Me sinto bem, quando vejo
Que tu és do sertanejo
A cidade predileta.
Por tudo quanto tu tens
Recebe estes parabéns
Do coração de um poeta.

8 comentários:

  1. sallylacerda@hotmail.com12 de setembro de 2010 07:21

    Pronto, aqui alguém de Juazeiro para assinar o Blog. Obrigada pela saudação.

    ResponderExcluir
  2. é nós que vô bruxão...Juazeiro do Norte por aki!

    ResponderExcluir
  3. É interessante ver essa postagem hoje, com seus comentários e ver que ela é de setembro de 2007, quando o blog acabava de fazer três meses de existência. Neste ano de 2010, até hoje, 16 de dezembro, foram nada menos que 362 visitas só de Juazeiro do Norte, do total de 57.837, oriundas de 547 cidades em todo o mundo!
    É pouco, se comparado com outros blogs, que tem esse movimento por dia, mas é bastante para a gente ficar feliz de ver que a Literatura de Cordel se espalha pelo mundo.

    ResponderExcluir
  4. gostei muito dos repentes aqui expostos.
    sou de uma cidadezinha do interrior do ceara,
    a 40 km de juazeiro do norte, terra de meu padin ciço rumao batista

    ResponderExcluir
  5. Padin e Jua !!!! aí vai eu a muié e os barrigudinhu....

    ResponderExcluir
  6. gostei desse pato cordelista

    ResponderExcluir