terça-feira, 10 de junho de 2008

A técnica de fazer cordel III

Figura obtida no Blog da Allan Campos:
(http://allancampos.wordpress.com/2008/04/08/governo-joga-mal-para-manter-professores-em-sala-de-aula/)

COMO FAZER CORDEL

A maioria das visitas a Mundo Cordel chega por meio de ferramentas de busca, tendo como argumento a expressão “como fazer cordel”. Não é para menos. Quando se digita essas três palavras no Google, e se clica “pesquisar”, a primeira URL da lista de resultados é o post “A técnica de fazer cordel”, de 02/07/2007. A segunda URL é “A técnica de fazer cordel II”, continuação da primeira.



Acredito que esses textos venham ajudando muita gente a elaborar os seus próprios cordéis, mas admito que eles me parecem mais úteis para mostrar as possibilidades de criação que para ajudar a criar.

Como fazer um cordel? Certamente, cada poeta tem o seu método de trabalho, mas deve haver pontos em comum. Falarei um pouco sobre o meu próprio método.
Quem nunca fez um cordel, pode tentar seguir esse caminho, e ver como se sai. À medida que for ganhando habilidade, pode ir adequando o método ao seu jeito próprio de fazer as coisas.

Penso que a primeira coisa a se fazer é escolher o tema. Não dá para desenvolver bem qualquer atividade escrita sem saber sobre o que se vai escrever; é claro que às vezes acontece de surgir uma idéia espontaneamente. Os fatos dos dia a dia são uma ótima fonte de inspiração, como destaco em “Uma visita inesperada”:

Para fazer os meus versos
Não falta matéria prima
Um elevador que desce
Um outro que vai pra cima
Uma van que vai parando
E nela alguém vai chegando
Atrasado pro trabalho.
Numa mesa improvisada,
Alguém vende, na calçada,
Caneta, isqueiro e baralho.

Mesmo assim, é preciso estar seguro quanto ao ponto central da obra, até para saber o caminho que se pretende seguir. Ao decidir fazer um cordel sobre um assalto ao qual assistiu na rua, você deve saber se o seu cordel terá como foco narrar o assalto, ou falar da violência urbana. Certamente que uma opção não exclui a outra. Em uma narração, sempre dá para fazer reflexões, e vice-versa, mas há que se definir a predominância.

Por falar em predominância, identifico alguns tipos de cordel:

a) Cordéis Narrativos, que contam uma história, um caso, um fato pitoresco. Podem ser subdivididos em:
1) Ficção, quando narra um fato criado pela imaginação humana, ainda que baseado em fatos reais (p.ex. “A chegada de Lampião no Inferno”), podendo ser:
i) Original, quando o próprio autor dos versos é também autor do enredo; e
ii) Adaptação, quando o autor dos versos aproveita um enredo já existente. Muito usada em relação aos clássicos da literatura.
2) Não ficção, quando o autor se propõe a narrar fatos efetivamente ocorridos (p.ex: “O ataque de Lampião a Mossoró”);
b) Cordéis dissertativos, quando o autor comenta, analisa, opina sobre determinados fatos. Muito usado para tratar de temas políticos e econômicos de interesse da população (p.ex: Cordel sobre as prisões brasileiras);
c) Cordéis descritivos, quando o autor “desenha” um cenário com seus versos. Jessier Quirino faz isso com maestria em “Paisagens do Interior” e “Parafuso de Cabo de Serrote”;
d) Cordéis em homenagem a algo ou alguém. Uma cidade, um herói, um mito, conforme se vê em “O Vôo da Patativa”, de Dideus Sales, homenageando Patativa do Assaré.

Definidos o tema e o tipo, já se pode estabelecer a mensagem central a ser transmitida, a qual pode se constituir em um “mote”. Mote é o tema sobre o qual o poeta desenvolve os seus versos, exposto no último verso da estrofe ou nos dois últimos, quando é mote de duas linhas.

Feito isso, é hora de escolher a forma. Aqui, o leitor pode buscar qualquer uma das formas relacionadas nos posts “A técnica de fazer cordel", I e II, ou criar uma nova – o que só é aconselhável para quem tem muita prática no assunto.

É bom lembrar as seguintes dicas: a) versos e estrofes mais longas funcionam melhor para temas mais complexos; b) o cordel fica melhor de ler quando cada estrofe encerra uma idéia completa, formando um conjunto harmônico.
Outra dica importante: versos curtos são melhores para situações em que se pretende dar idéia de velocidade.

Pronto. Se você já sabe o que vai dizer, quantas sílabas pode usar em cada linha e quantas linhas em cada estrofe, está com quase tudo pronto. Faltam só as rimas. Se você não tem muita prática em rimar, comece com sextilhas, rimando os versos 2, 4 e 6, e deixando os ímpares livres. Escreva a segunda linha pensando nas palavras que usará para terminar os outros dois versos pares, e deixe as idéias irem fluindo. Já há dicionários de rimas na Internet (Dicionário de Rimas; Rimador - SONETOS.com.br), isso pode ajudar, especialmente quem está começando.
Às vezes a necessidade de rimar nos afasta um pouco do que queremos dizer imediatamente; isso é normal; é aí que você vai descobrir o prazer de dizer as coisas de um jeito diferente, inesperado, algumas vezes inserindo palavras que não seriam necessárias, para fechar a métrica, outras, usando de muito poder de síntese, para dizer muito em um só verso. Gosto mais da segunda opção.
Para finalizar, não custa lembrar a “Receita para Cordel”, de Mundim do Vale, postada neste blog, na qual o poeta dá verdadeira aula prática, mostrando, em versos, todos os caminhos que um bom cordelista deve seguir.

Algumas palavras finais, mas não menos importantes: cada vez mais consolida-se o pensamento de que o cordelista deve buscar escrever corretamente. Como bem ensina Arievaldo Viana, um ou outro erro que passe, é porque o autor errou mesmo, pois todos estamos sujeitos a isso. O cordel tem ajudado muita gente a aprender a ler. Assim, se temos condição de escrever corretamente, devemos fazê-lo.

53 comentários:

  1. Primeiramente queria reverenciar este Blog. Muito bom trabalho de divulgação de nosso cordel. Parabéns! Sou editor e responsável pelo blog Cultura Nordestina: http://culturanordestina.blogspot.com/, nele divulgo os diversos ramos de nossa cultura popular nordestina e brasileira. Gostaria de saber se é possível adicionar meu blog em sua seção de links. De antemão já agradeço a atenção. Aguardo retorno. Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Meu chará e compadre Marcos, pode replicar o post que você quiser, peço apenas que cite a fonte. Também irei divulgar seu trabalho em meu blog. Olha só, já coloquei o link de seu blog na seção de parceria. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Muito boa essa explanação, especialmente porque estabelece a diferença entre cordel e poesia matuta. São ramos da mesma árvore, mas querer botar os dois no mesmo balaio é o mesmo que reunir o xote, o xaxado, o baião e o rojão sob o nome genérico forró.
    Parabéns, poeta, pela lucidez da exposição.

    ResponderExcluir
  4. MUITO BOA SUA EXPLANAÇÃO.
    joaomaria.dantas@bol.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu aprintir muito com fazer um cordel....

    ResponderExcluir
  6. Muito Boa .. Adoreii !

    Agora aprendi fazer um cordel ♥

    ResponderExcluir
  7. oi marcos, sou nordestina mais muito de vagar pois estou querendo fazer a minha historia de namoro de 5 anos 'firmes' vc tem algum site ou ideia como posso fazer!!!

    ResponderExcluir
  8. eu nao consigo fazer uma literatura de cordel

    ResponderExcluir
  9. ESSAS DICAS SAO ESTREMA IMPORRTANCIA

    ResponderExcluir
  10. é muito engracado mesmo fazer um cordel ,aprende valeu.

    ResponderExcluir
  11. Cordel todo mundo faz
    Mas tudo precisa jeito
    Tem que fazer bem rimado
    Metrificado e perfeito
    E discrever a história
    Se tem derrota ou viória
    Pra ter o leitor proveito.

    ********//Anizio

    ResponderExcluir
  12. pois é assim que cordel é feito com rima e com muito geito.

    ResponderExcluir
  13. Espero que de certo meu trabalho de escola com essas esplicações!

    ResponderExcluir
  14. Mulher também faz cordel
    Quantos nomes tem por ai
    Falta navegar na mídia
    Os nomes das nossas Maria
    Eu sou parte de uma delas
    Com o dom para a poesia.

    ResponderExcluir
  15. Olá Marcos Mairton,
    Nevenar neste oceano poético é, para mim, uma lição a cada dia. Deixo aqui um fragmento do poema que inscrivi nele "o tal" Edital Mais Cultura - Prêmio Patativa do Assaré,edição 2010, que até a presente data: nem notícia.

    'No Centro Nacional
    De Cultura Popular
    Acervo de cordel é
    Referência singular
    Poeta de toda parte
    Vem aqui depositar
    *
    Seus folhetos de cordel
    Para conosco gravar
    A Memória permanente
    Da cultura popular
    A Cordelteca respalda
    A poesia popular
    Seu valor tradicional"

    Abraço,
    Rosário Pinto

    ResponderExcluir
  16. Muito bom , pode apostar que me ajudou ; )



    Anaa Paula Oliveiraa ; )

    ResponderExcluir
  17. To apaixonada por cordel! E queria escrever....mas ainda n to pronto.essa sequencia de posts que vc fez, muito bom! sabe, eu fico pensando, será que alguem que nasceu e cresceu em Belo horizonte, pode aprender a escrever cordel? eu n sei...so sei q so penso nisso esses dias.

    ResponderExcluir
  18. Claro que pode, Cláudia.
    Temos cordelistas no Brasil inteiro.
    Se vc der uma olhada na minha lista de blogs favoritos (aí do lado direito), vai encontrar os "Cordéis Joseenses", do meu amigo Paulo Barja, de São Paulo. E esse é só um exemplo!

    ResponderExcluir
  19. NOSSA tomara que isso me ajuda no meu trabalho !!!!!
    espero tirar 10..
    muito bom essa tecnica do cordel nunca tinha me entereçado mas agora p

    ResponderExcluir
  20. legalllll me ajudou geral na faculdade

    ResponderExcluir
  21. Foi o melhor site que eu encontrei me ajudou bastante!!!

    ResponderExcluir
  22. Caros visitantes anônimos,
    fico feliz em saber que conseguiram ajuda por aqui. Voltem sempre!

    ResponderExcluir
  23. gostei porque me ajudou muito a criar meu cordel para meu trabalho,muito legal esse blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vitoria dos santos25 de julho de 2014 19:01

      Muito legal,me ajudou bastante a criarr um cordel ob

      Excluir
  24. nossa gostei muito e queria mostrar um cordel que eu fisso e sobre a cidade de goias:

    A cidade de Goiás
    e uma importante interação
    com o cerrado, as palmeiras
    e brejos existentes na região
    aqui também tem plantas medicinais
    como a arnica, a sucupira e o manjericão

    Museus e igrejas
    do período colonial
    pedindo para os turistas
    que visitem o local
    há também caminhadas e trilhas
    pela estrada imperial

    Da culinária
    Agora vou falar
    Em peça lendária
    pode se cozinhar
    pra que ainda não conhecia
    estou aqui para mostrar

    se você quer conhecer
    esse é o lugar
    tanto para compreender
    quanto pra saborear
    para você entender
    só olhar para o luar


    Uma delicia típica daqui
    você tem que conhecer
    esse e o famoso pequi
    você tem que entender
    não tem apenas aqui,
    mas o daqui e impossível de resistir

    Mas com essa delicia
    você deve se cuidar
    apesar de gostosa
    pode te machucar
    com essa fruta
    que pode ate te matar

    Cuidado, essa fruta amarelinha
    pode te enganar
    e com espinhos na boca
    você pode ficar
    mais preste atenção
    pois o pequi e pra se rapar

    Varias delicias da região
    você vai encontrar
    pra isso tem o empadão
    você vai se encantar
    o que se faz de coração
    ira ate te fascinar


    Do empadão goiano
    você vai gostar
    pois seus ingredientes
    são de arrasar
    ele pode não parecer
    mas e fácil de preparar

    Pra você fazer o empadão
    você vai precisar
    de farinha de trigo
    e uma para pincelar
    corte o lombo de porco
    e a lingüiça para rechear

    Agora eu vou falar
    do macarrão domingueiro
    que é fácil de se preparar
    você vai gostar
    pois quando você
    provar vai adorar

    Com o macarrão domingueiro
    você vai se encantar
    o peito de frango
    e usado para rechear
    óleo e o alho triturado
    e sal para temperar


    olha só como é
    fácil de se fazer
    cozinhar o frango e desfiar
    na mesma panela
    para com o sabor
    gostoso ficar

    O macarrão domingueiro
    é um prato muito goiano
    pra comer com a família
    pra comer em todo o ano
    se você fizer pouco
    não vai sobrar pro amigo

    Do pão de queijo agora
    vou falar
    uma especialidade
    que você vai gostar
    feito com amor
    pra você saborear

    Os ingredientes agora vou falar
    preste atenção que é fácil de preparar
    o queijo agora vou ralar
    para no polvilho adicionar
    o ovo e a água, leite, óleo e sal
    nos vamos misturar

    ResponderExcluir
  25. quero fazer um cordel mas nao consigo me ajudem por favor o meu nome é Rebeca tenho... de idade este é nmeu ultimo trabalho deste ano

    ResponderExcluir
  26. Namorei uma mulher
    que tem um olho na testa
    outro dia lá na festa
    vi um jabuti dançando
    já joguei pedra na lua
    do outro lado da rua
    tem uma cobra fumando.

    Maria mãe de Jesus
    Trabalhava no balcão
    Gostava de comer pão
    Com bolo e muito café
    Gostava de ver novela
    Viveu muito na favela
    E casou com seu José.

    ResponderExcluir
  27. AMIGO É ALGO RARO;
    Hoje em dia ter amigo
    Está sendo raridade
    Mesmo gente da família
    Não tem mais lealdade
    É mais fácil ter estranho
    O que falo é realidade.

    Quando o povo era pobre
    Via-se mais união,
    Por isso sou revoltado
    Quase não tenho irmão
    Ninguém chorará por mim
    Quando for para o chão.

    demparaso/Adão Salina

    ResponderExcluir
  28. muito bom a criatividade e a talento desses cordelista nordestinos honrados pelo publico que gostão dessa cutura e verdadeira arte parabemns...

    ResponderExcluir
  29. mto obigado por falar
    e o cordel anunciar
    tudo pode me ajudar

    ResponderExcluir
  30. kkkk vlw agora posso fazer o meu propio tbm kkk vlw msm

    ResponderExcluir
  31. nao to achando a leitura de cordel xxxxxxxaaaaaaaatttttttaaaaaa

    ResponderExcluir
  32. vlw muito bom bom de mais

    ResponderExcluir
  33. Gente por favor eu preciso criar um cordel sobre castro alves e não consigo de jeito nenhum, me ajudem. SOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOORRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  34. gente preciso de um cordel sobre comida mas bem simples

    ResponderExcluir
  35. Abaixo código player da Radio Cultura Nordestina , caso queira colocar no blog ou Site:
    www.radioculturanordestina.com
    Basta nos escrever: radioculturanordestina@gmail.com

    ResponderExcluir
  36. MEU NOME É JOSÉ RONALDO
    VINTE E OITO É MINHA IDADE
    MEU ESTADO É PERNAMBUCO
    BREJINHO É MINHA CIDADE
    EO QUE ME FAZ SER POETA
    É SOLUÇO DE SALDADE.

    QUEM QUISER FALAR COMIGO
    NUNCA DEIXE PRE DEPOIS
    É NOVE UM SETE SETE
    CINCO SETE VINTE E DOIS
    MUITO OBRIGADO AO LEITOR
    O ESPAÇO QUE DISPOIS...

    RONALDO SOARES...

    ResponderExcluir
  37. bem preciso de algumas informaçoes sobre literatura de cordel em menos de 1 dia alguem me ajuda aqui como a literatura de cordel nasceu como ela é como ela existe

    ResponderExcluir
  38. goste da dica do cordel
    pois precisava muito saber
    não sabia como fazeria o trabalho
    sem primeiro compreender
    o que é cordel
    que hoje eu já sei fazer.

    Geovanne oliveira...

    ResponderExcluir
  39. Prezados;

    Sou baiano, neto de um grande poeta de cordel.

    Ainda criança, aprendi a tocar violão e passei a compor algumas canções, que por timidez, ficou tão somente no ambiente familiar e de vez em quando, compartilhada com amigos. Amigos que por serem amigos, diziam: Você tem talento. Poderia ser um grande compositor e cantor, se não fosse á timidez em excesso.

    Passei também a compor algumas poesias e engavetá-las todas.

    Poesias essas, que foram lidas por uma grande amiga, que convenceu-me a entregá-las pra que ela criasse um blog e as postasse.

    Assim foi criado o blog: www.bonipoesia.blogspot.com

    De um humilde músico, compositor e poeta frustrado, por ter exercido ao longo da vida, outras funções, e não a mais nobre de todas.

    Hora abreviada minha história, o que eu tinha vontade mesmo, era de ser como meu querido avô. Um grande cordelista.

    Confesso que entendo pouco, dessa maravilhosa forma de expressão. No entanto, atrevendo-me decidi tentar compor um, e gostaria da conceituada opinião de vocês, que são especialistas no assunto.

    Abaixo segue cordel para análise crítica, e também algumas poesias de minha autoria.

    Se gostarem, tem mais algumas postadas no blog.

    Desde já, agradeço por tudo.

    Abraços do humilde poeta;

    José Bonifácio


    CORDEL DA HUMANIDADE PERDIDA
    Autor: José Bonifácio www.bonipoesia.blogspot.com


    Convido nobres colegas,
    A discutirmos
    Essa questão:
    Teria a humanidade,
    Desistido de se mesma,
    Depois
    De tanta decepção?


    Muita gente hoje em dia,
    Gente de condição,
    Compram gatos,
    Cães e cobras,
    Sacos, mais sacos, de ração,
    Desprezam o ser humano,
    Crianças? Criam mais não.


    Ocorre no mundo
    Todo,
    Orfanatos?
    Sem construção,
    Crianças morrendo a míngua,
    Sem vidas,
    Sem opção.


    O egoísmo,
    Demônio humano,
    Provoca
    Destruição,
    Vivemos em nosso inferno,
    Perdidos
    Sem salvação.


    Se quiséssemos,
    Seriamos salvos,
    Não pela religião,
    Bastaria que dividíssemos,
    O que temos de montão,
    Dando um pouco a quem não tem,
    Compartilhando com o irmão.


    Caso contrário,
    Seremos vítimas,
    De desmedida
    Ambição.
    Até quando existirá,
    Humanidade
    Hoje em extinção?


    NAMORA COMIGO
    Autoria: José Bonifácio www.bonipoesia.blogspot.com

    Namora comigo
    Prometo-te
    A cada dia
    Uma poesia.


    A ti darei o céu
    O mar
    A lua
    As estrelas...


    Não importa
    Que nada dessas coisas
    A mim pertença,
    Só o teu amor me bastaria.


    Se o teu amor
    Eu tivesse
    Viveria
    Agradeceria... Comporia... Beijaria...


    Namora comigo
    Sou paixão
    Em versos
    Confessados, registrados, no cartório da poesia.


    Se o meu pedido
    A ti chegasse
    Fosse lido ou escutado
    Aguardaria...
    Ansiosamente
    Como se fosse ouvir um veredito.

    Se a mim
    Fosse favorável
    Tua sentença afável
    Dedicar-me-ia...

    Carregaria água em cestos
    Teu nome escreveria
    Em pedras, troncos de árvores...
    Gritaria...
    Para que todo universo soubesse,
    Que um eterno amor, acabara de nascer.

    Namora comigo.



    ResponderExcluir
  40. são demais o perigos desta vida
    para quem tem uma paixão desiludida
    louco amor meu,que quando tocar ferer
    E quando ferer atormenta
    todo instante perdido e uma torturar
    Cada beijo lembrado leva a loucura!
    By:thay

    ResponderExcluir
  41. "EU SOU DO MATO"
    Seu moço eu sou la do mato
    Sou filho deste sertão
    Sou cabra bom na labuta
    Medo nenhum tenho não
    So creio naquilo que passa
    Quando o destino traça
    Na palma da minha mão

    Nasci cá no oco do mundo
    Sem conhecer fidalguia
    Trilhei nas grotas do tempo
    Na vida fiz moradia
    Eu desconheço embaraço
    Num verso simples eu faço
    Minha melhor alegria

    Sou cabra respeitador
    Filho de homem de bem
    Ou trilho certeiro na lida
    Feito uma roda de trem
    Sem medo e sem disparate
    Vencendo o bom combate
    Seguinte sempre além

    Daqui das terras tão Boas
    Nos beiços deste torrão
    Amado por natureza
    Sem trauma e sem ambição
    Vivo compondo meu verso
    Descubro novo universo
    Nas cordas do meu vioão

    Assim eu canto Gonzaga.
    Eterno rei do baião
    Do xote aboio e modinhas
    Que tocam no coração
    Cem anos O Lua Faria.
    Se chance tivesse irmão

    Carlos Silva poeta cantador

    ResponderExcluir
  42. gostaria de pedir UMA dica Preciso Fazer alguns cordeis com o Tema de iluminismo x Velho regime

    ResponderExcluir
  43. Olá amigo.
    Que cantinho Cultural. Sou uma Nordestina encantada com a Literatura de Cordel como todos aqui. Tenho textos em meu Balaiodapoesia.blogspot.com e me arrisquei fazer meu primeiro Cordel. Terei a honra de postá-lo aqui colocando o link desse site?
    Encantada com a organização e valorização dos Pensadores.
    Deixo aqui meu rabisco. Obrigada.

    Goretti Albuquerque


    CORDEL DA MULHER ATREVIDA.
    l
    Não sou Mulher que se diga
    ETA! Que “Dona Patroa!
    Também o pior não diga,
    Se eu não sou tão a “Boa,”
    Chamem-me de Atrevida
    Um pouco de Pervertida,
    Porém jamais fui atoa.

    Nunca fui de ganhar Temas,
    Mas me visto de Poema
    Sou meu próprio Diadema.
    Chamem-me Pedra Noventa
    Vou pra casa dos Sessenta
    Meio a reverso e Dilema.
    Enfim, sou meu próprio lema.


    Eu nasci bem desprovida
    Dos atributos reais.
    Era triste e inibida,
    Com silhueta normal.
    Ás vezes desengonçada
    Em outras, um pouco ousada,
    Mas sem trejeitos Fatais.

    Aos poucos fui me encarando
    Aceitando-me como eu era...
    Não era a Bela Encantada
    Mas, eu vivia essa espera.
    De um dia transformar-me
    Na mais formosa Donzela
    E ser de fato a Fera.


    Abri porteira no “Mundo”
    Por onde eu nem caberia,
    Pisei abismo profundo
    Submergi com “Valia”
    Comi poeira da estrada
    Atravessei a invernada
    Estampei-me com Ousadia.


    Só não Roubei nem Matei
    Nem em vícios fui parar.
    Lombo de Touro eu montei.
    Pulei muro a me arrastar
    Para poder escapar
    Saltei por cima do Mar
    Tentando me equilibrar.


    Quem conhece a Face Dura
    Do chão que pisa a Pobreza,
    Colhe a “Provisão Madura
    E trás no rosto a Beleza
    Planta capim no asfalto
    Produz seu grande roçado
    Sem cansaço e sem Moleza.


    Porém quem não compreender
    É que não viveu no Fio,
    Da Navalha a entender,
    Que na voz de um arredio
    Existe um gritar latente
    Não se tem vida decente
    Com a barriga vazia.


    Senti dor e desalento
    Sem poder dar nem um pio.
    Assemelhei-me ao jumento,
    Quando lhe falta alimento
    Inclina pra baixo a crina
    Faz de seus passos, sua Sina
    Relincha buscando alento.


    Para encurtar essa história,
    Guarde-me em sua memória.
    Sou filha da “Persistência”
    Tenho irmãos com Sapiência
    Doutor em Sabedoria.
    Penso com muita Ousadia
    Sou a Mãe Da Valentia.

    Goewtti Albuquerque


    http://mundocordel.blogspot.com.br/2008/06/tcnica-de-fazer-cordel-iii.html

    ResponderExcluir
  44. Que mentira:A maioria das visitas a Mundo Cordel chega por meio de ferramentas de busca, tendo como argumento a expressão “como fazer cordel”. Não é para menos. Quando se digita essas três palavras no Google, e se clica “pesquisar”, a primeira URL da lista de resultados é o post “A técnica de fazer cordel”, de 02/07/2007. A segunda URL é “A técnica de fazer cordel II”, continuação da primeira.
    O meu não aparece nada disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado visitante deste Mundo Cordel,
      Quando fiz este post era verdade.
      De fato, conferi agora e não é mais.
      Bem, as coisas mudam. Na Internet, então, mudam muito rápido...

      Excluir
  45. gostei mas msm assim nao me ajudou em nada preciso de alguem me ajude a fazer um cordel sobre microbios....

    ResponderExcluir
  46. e gostei mas nao me ajudo em nada nadica de nada
    quiria que alguem me ajudace fazer sobre o setao......

    ResponderExcluir
  47. adorei a explicação

    ResponderExcluir